domingo, 6 de janeiro de 2013

Brasil império questões vestibular

questões Brasil império

1) (PUC-PR) O estudo comparativo das Constituições Brasileiras de 1824 (Carta Outorgada, Imperial) e de 1891 (Carta promulgada, Republicana) não permite afirmar:

a) A Carta de 1891 estabeleceu a Federação como forma de Estado.
b) A Carta Republicana teve inspiração européia, ao passo que a lei maior imperial buscou seguir o modelo norte-americano.
c) A Carta de 1824 criou o Unitarismo como forma de Estado, mesmo porque as Províncias eram destituídas de preparo político.
d) A Carta Imperial criou 4 (quatro) poderes, mas o documento republicano estabeleceu somente 3 (três).
e) Enquanto o estatuto Imperial recebeu uma emenda, o Ato Adicional, um progresso rumo à federação, a Carta republicana foi emendada em 1926, com fortalecimento do Poder Central.

2) (UFF) Ao longo do século XIX, a Inglaterra deu inúmeras demonstrações de seus interesses políticos e econômicos na América Latina, atuando, direta ou indiretamente, em diversos conflitos inter-americanos.
Assinale a opção que caracteriza corretamente a atuação inglesa em uma das questões platinas.

a) A Tríplice Aliança entre Brasil, Argentina e Uruguai, responsável pela derrota paraguaia em 1870, não foi senão um disfarce para as ambições colonialistas inglesas na região platina.
b) A Inglaterra foi a grande vitoriosa na Guerra do Paraguai, onde interveio com sua Marinha de guerra, pois temia que Solano López transformasse o Paraguai em potência concorrente do capitalismo britânico.
c) A intervenção inglesa na Guerra do Paraguai, a partir de 1866, tinha por objetivo assenhorear-se da produção paraguaia de algodão, uma vez que a indústria têxtil britânica se viu privada de sua principal matéria-prima com a derrota do sul escravista na Guerra de Secessão, em 1865.
d) A Inglaterra interveio diretamente contra o governo argentino de Juan Manuel de Rosas, na década de 40, a ponto de a Armada inglesa bloquear o porto de Buenos Aires.
e) A intervenção inglesa contra o regime de Juan Manuel de Rosas, nos anos 40, objetivou restaurar o bloqueio de Buenos Aires na embocadura do Rio da Prata, considerado essencial para o livre comércio na região.

3) (PUC-RS) Instrução: Para responder à questão, sobre os partidos políticos no Império, observe atentamente o organograma abaixo.
(Extraído de ALENCAR, Chico et al. História da Sociedade Brasileira. Rio de Janeiro: Ao Livro Técnico, 1996, p. 158.)
Tendo por base o organograma acima, é correto afirmar que

a) os “partidos” português e brasileiro, existentes no Primeiro Reinado, eliminaram suas divergências ao longo do Período Regencial, vindo a unificar-se e a formar o Gabinete da Conciliação (1853-58).
b) os grupos políticos dos Liberais Moderados e dos Liberais Exaltados, existentes durante o Período Regencial, passam a formar unanimemente o Partido Liberal, a partir de 1840.
c) os Liberais Moderados ou “Chimangos”, grupo formado exclusivamente por gaúchos ligados a Borges de Medeiros, são os responsáveis diretos pela criação do Partido Republicano, a partir de 1870.
d) os Partidos Liberal e Conservador eram formados, parcialmente, por políticos ligados aos grupos liberais moderados do Período Regencial.
e) os Partidos Conservador e Liberal não tinham qualquer ligação, respectivamente, com os Partidos Regressista e Progressista, o que é indicado pela linha tracejada, que representa uma ruptura entre estes grupos políticos.

4) (UFPE) A crise do Império, no Brasil, foi marcada por uma série de questões que favoreceram a Proclamação da República. Sobre essas questões e suas características, analise as proposições abaixo.

1) As idéias republicanas fizeram parte de diversos movimentos históricos no Brasil. Contudo, só a partir de 1870, ano em que foi lançado o Manifesto Republicano, o movimento ganhou uma formação mais sólida e concreta.

2) No período colonial, a Igreja Católica no Brasil era uma instituição submetida ao Estado. Ou seja, nenhuma ordem papal poderia vigorar no Brasil sem a autorização do imperador. A desobediência a esses preceitos, por parte dos bispos de Olinda e Belém, em 1872, deu início ao que se convencionou chamar de Questão Religiosa.

3) Quando foi abolida a escravidão no Brasil, os senhores de escravos, por não terem recebido as indenizações do governo a que achavam fazer jus, passaram a apoiar a causa republicana. Por isso foram chamados “republicanos do 13 de maio”.

4) Os militares, após a Guerra do Paraguai, passaram a gozar mais prestígio na sociedade brasileira, o que também era reconhecido pelo Imperador, que precisava deles para manter-se no poder. Daí, a sua lealdade à monarquia quando se proclamou a República no Brasil

5) Dentre as questões que contribuíram para a Proclamação da República no Brasil não se pode inserir a questão militar, pelas razões expostas no item anterior.
Estão corretas:

a) 1,2 e 3
b) 2,3,4
c) 1,2,4
d) 2,4,5
e) 3,4,5

5) (UFPE) Processo político de emancipação do Brasil desenvolveu-se dentro de condições bastante especiais, dentre as quais é correto assinalar:

a) a presença de D. Pedro I, como regente do trono, estabelecia a possibilidade de uma separação entre Portugal e Brasil, sem, contudo, romper radicalmente com o regime monárquico.
b) as primeiras notícias chegadas ao Brasil dos acontecimentos do Porto deflagraram, em todas as províncias brasileiras, movimentos de repúdio à revolução lusa, formando-se “Juntas Constitucionais”.
c) a Revolução do Porto, fundamentada em idéias liberais, tinha entre seus objetivos a reforma constitucional portuguesa e a emancipação política das suas colônias, entre elas, o Brasil.
d) nas Juntas Constitucionais formadas por brasileiros e portugueses, nas quais os brasileiros eram em maior número, havia a firme decisão de não se acatarem as resoluções tomadas pelas cortes em Lisboa, o que contrariava os interesses lusos.
e) Com relação ao Brasil, os revolucionários portugueses do Porto, mantinham a coerência com os postulados liberais, mostrando-se intransigentes defensores da emancipação política brasileira.

6) (UECE - 2007) - "...diz Oliveira Lima que um oficial português jurou a um oficial brasileiro que o Brasil continuaria escravo de Portugal e que o príncipe embarcaria, mesmo que para isto, tivesse sua espada de servir-lhe de prancha".
Fonte: LUSTOSA, Isabel. "Perfis Brasileiros: D. Pedro I". São Paulo: Companhia das Letras, 2006. p 132/133.

O episódio acima narrado refere-se ao famoso "Dia do Fico". Em relação aos desdobramentos dele decorrentes, considere as seguintes afirmativas:

I - A oficialidade portuguesa não se conformou com a decisão de D. Pedro I de permanecer no Brasil. As tropas armadas portuguesas saíram dos quartéis, armados de cassetetes, insultando transeuntes e praticando desacatos.

II - Medidas para conter os desagravos das tropas portuguesas não foram tomadas e contraditoriamente, D. Pedro I exigiu que as mesmas permanecessem no Brasil e posteriormente premiou as tropas, tornando-as sua guarda pessoal.

III - Instalou-se um clima de guerra com toda tropa de linha e miliciana do país. A estes juntaram-se cidadãos de todas as classes: roceiros, agregados, negros forros, escravos dispostos a enfrentar a divisão portuguesa.

São corretas:

a) I e II                    b) II e III                 c) I e III                   d) I, II e III

7) (UFLA - 2008 - adaptada) - Com base no contexto do café na história brasileira, analise as afirmativas a seguir e, a seguir, assinale a alternativa CORRETA.

I. A dinâmica da produção e da cultura do café, em especial no Vale Paraíba, no século XIX, obedeceu a padrões já encontrados na economia colonial, como, por exemplo, o latifúndio.

II. O oeste paulista, além da mão-de-obra escrava, pôde atrair mais facilmente o imigrante, principalmente após 1850. 

III. A expansão do café no século XIX propiciou a dinamização de um conjunto de modernizações, como bancos, estradas e ferrovias. 

IV. Além do desenvolvimento de um complexo aparelho infra-estrutural, surge o aparelho superestrutural, o que justifica a criação do Colégio Agrícola de Lavras em 1908. 

V. O café, introduzido no país em 1727, no atual Estado do Pará, adapta-se no Sudeste, especificamente em São Paulo, a partir de 1760, onde inicia sua expansão para as outras áreas da região.

a)  I, II, III e IV estão corretas       b) Apenas II e III estão corretas         c) I, III, IV e V estão corretas
c) Apenas III, IV e V estão corretas.                 e) II, IV e V estão corretas

8)  (UFMG 2009) O Reinado de D. Pedro II foi marcado por ações que demonstravam o interesse da Monarquia em estimular o crescimento intelectual da nação. Considerando-se essa informação e outros conhecimentos sobre o assunto, é CORRETO afirmar que, entre as principais ações nesse sentido, se destaca:

a) a criação de instituições de ensino – como a Escola de Minas de Ouro Preto, que, embora voltada à formação das elites, cumpriu importante função na pesquisa e na prospecção de minerais.
b) a fundação do Museu da Inconfidência – um museu-escola –, que representou um ato de reparação aos mineiros pela perda, no processo de devassa da Inconfidência Mineira, de seus ilustres intelectuais.
c) o financiamento da vinda da Missão Artística Francesa, que se propôs estimular e ensinar as mais diversas formas de expressão artística a artistas brasileiros.
d) o resgate e proteção do Barroco Mineiro – e, conseqüentemente, de Aleijadinho, seu principal representante  como forma de valorização da produção cultural brasileira.

9) (UFMT) Durante o Segundo Reinado, com a consolidação de um projeto político nacional, após os conturbados anos da década de 30 do século XIX, o Brasil ampliou sua projeção externa e esteve envolvido em várias questões importantes no plano internacional, principalmente na região da Bacia do Prata. Sobre a política externa do Segundo Reinado para essa região, é correto afirmar:
a) Foi negociado o fim da Guerra da Cisplatina.
b) O Brasil subjugou a Argentina na guerra contra o Aguirre.
c) Foi celebrada uma aliança com o Paraguai para conter a expansão uruguaia.
d) O Brasil promoveu a paz na região.
e) Foi criada a Tríplice Aliança contra o Paraguai.

10) (UCPEL/RS) A política externa do Segundo Reinado, em relação à República do Paraguai, tinha por objetivo:
a) retomar a posse da ex-província Cisplatina;
b) assegurar a livre navegação na Bacia Platina;
c) restaurar o vice-reinado do Prata;
d) defender o sistema monárquico;
e) criar um órgão de defesa interamericano.

11) (CESGRANRIO/RJ) As relações do Brasil com a Inglaterra constituíram-se num dos principais problemas da política do Império, como se observa no (a):
a) apoio da Inglaterra a Portugal, seu tradicional aliado, nas Guerras de Independência;
b) conflito decorrente das restrições alfandegárias impostas por D. Pedro I aos ingleses;
c) participação dominante de capitais ingleses no financiamento da expansão cafeeira;
d) concordância inglesa em relação ao expansionismo imperial na Cisplatina;
e) oposição da Inglaterra, país pioneiro no desenvolvimento industrial, ao tráfico negreiro.

12) (FEI/SP) Irineu Evangelista de Sousa, Barão e Visconde de Mauá, foi um empreendedor que investiu em vários campos: Companhia de Navegação a Vapor no Amazonas e Rio Grande do Sul, Companhia de Iluminação a gás no Rio de Janeiro, companhias de bonde e estradas de ferro e outros.
Em qual período da história do Brasil Mauá se destacou?

a) República Velha.
b) Período Colonial.
c) Segundo Reinado.
d) Era Vargas.
e) Independência.

13) (UNESP/SP) O transporte ferroviário no Brasil, da segunda metade do século XIX ao início deste, mereceu prioritariamente o interesse estatal e particular.
As condições históricas relacionadas com a ampliação da rede em ritmo crescente foram:

a) a expansão da cafeicultura, principalmente em São Paulo, e o escoamento da produção para o exterior;
b) reservas de minérios de ferro, do quadrilátero ferrífero, pouco acessíveis e muito distantes dos centros urbanos mais expressivos;
c) políticas de industrialização e de reflorestamento;
d) capitais externos em busca de lucros para a indústria automotiva e para as empresas distribuidoras de petróleo;
e) devastações de pinhais para a extração de madeira e para a produção de papel.

14)  (UPF/RS) A crise do governo Zacarias, em 1868, marcou o início do processo de decadência do regime imperial brasileiro, que findou, em 1889, com a Proclamação da República. Considere as seguintes afirmativas sobre esse processo:
I. A fundação do Partido Republicano, em 1870, teve origem na dissidência do Partido Liberal de 1868.
II. Os “barões do café”, setor oligárquico vinculado ao Império, mantiveram a sua situação econômica e política inalterada durante o processo.
III. A expansão da economia cafeeira, no oeste paulista, a partir da segunda metade do século XIX, gerou um novo setor da classe dominante: a burguesia cafeeira paulista.
IV. A extinção oficial do tráfico negreiro, em 1850, acelerou o processo de diversificação econômica, principalmente o da industrialização.
Escolha a alternativa que contém apenas os números de todas as afirmações corretas:

a) I, II                b) I, III               c) I, II, III                   d) I, IV                        e) I, III, IV

15)  (UNIFOR/CE) Leia atentamente o texto. "Sob todos os aspectos, a guerra fora um desastre para o Império do Brasil: custara mais de 80 mil contos de réis e cerca de 8 mil mortos, do lado brasileiro; as atividades produtivas na Província do Rio Grande do Sul tinham sido seriamente prejudicadas e, durante a guerra, a insistência do Brasil no Bloqueio do Rio da Prata gerara uma manifestação belicosa da frota francesa bem em frente ao Rio de Janeiro. Por fim, a derrota do Imperador, numa guerra impopular, acabara por destruir o último vestígio de garbo do .Defensor Perpétuo do Brasil., contribuindo assim para sua abdicação, em 1831". (João Luis Fragoso e Francisco Carlos Teixeira da Silva. In: Maria Yedda Linhares. História Geral do Brasil. Rio de Janeiro: Campus, 1990. p. 198) Durante o Império Brasileiro, o Brasil envolveu-se em vários conflitos com os países do Cone Sul. O conflito mencionado no texto foi a:

a) Guerra da Cisplatina;
b) Guerra do Paraguai;
c) Revolução Farroupilha;
d) Guerra de Canudos;
e) Guerra contra Rosas.

16)  (PUC-PR) O Segundo Reinado (1840-1889) marcou o auge da forma de governo monárquica no Brasil. A respeito da política externa dessa época, assinale a única alternativa INCORRETA:

a) O Império, aproveitando-se da rebelião dos seringueiros e revelando traços imperialistas, obteve da Bolívia a região do Acre, formalizando a conquista com o Tratado de Petrópolis.
b) A Questão Christie culminou com o rompimento de relações diplomáticas com a Inglaterra.
c) O Império interveio militarmente no Uruguai e provocou a queda de Aguirre, do Partido Blanco, apesar da solidariedade que este tinha de Solano Lopes.
d) O Império interveio militarmente na Argentina, juntamente com algumas províncias deste país, em rebelião contra seu presidente, João Manuel Rosas.
e) Nenhum atrito digno de registro ocorreu entre o Brasil e o Império Alemão, do qual recebemos numerosos colonos ou imigrantes.

17) (UCS/RS) Associe os períodos da História do Brasil Império, listados na Coluna A, às características que os identificam, indicadas na Coluna B.
Coluna A
1 – Primeiro Reinado (1822 a 1831)
2 – Período Regencial (1831 a 1840)
3 – Segundo Reinado (1840 a 1889)
Coluna B
( ) Período conturbado, caracterizado pelas lutas entre restauradores, exaltados e moderados, assim como pelas rebeliões provinciais que colocaram em risco a integridade territorial e política do País.
( ) Caracterizou-se por ser um período de transição, marcado por uma aguda crise econômica, financeira, social e política, com a divisão do Partido Brasileiro em duas facções: a conservadora e a liberal.
( ) Período em que a economia passou a ter o café como produto fundamental e foram realizados alguns reforços industrializadores, dentre os quais, um dos mais importantes, aquele empreendido pelo Barão de Mauá.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os parênteses, de cima para baixo:

a) 1 – 2 – 3          b) 3 – 2 – 1         c) 2 – 3 – 1          d) 3 – 1 – 2              e) 2 – 1 – 3

18) A Constituição imperial brasileira, promulgada em 1824, estabeleceu linhas básicas da estrutura e do funcionamento do sistema político imperial tais como o(a):

a) equilíbrio dos poderes com o controle constitucional do Imperador e as ordens sociais privilegiadas.
b) ampla participação política de todos os cidadãos, com exceção dos escravos.
c) laicização do Estado por influência das idéias liberais.
d) predominância do poder do imperador sobre todo o sistema através do Poder Moderador.
e) autonomia das Províncias e, principalmente, dos Municípios, reconhecendo-se a formação regionalizada do país.

19) (Cesgranrio) Assinale a opção que apresenta um fato que caracterizou o processo de reconhecimento da Independência do Brasil pelas principais potências mundiais:

a) Reconhecimento pioneiro dos Estados Unidos, impedindo a intervenção da força da Santa Aliança no Brasil.
b) Reconhecimento imediato da Inglaterra, interessada exclusivamente no promissor mercado brasileiro.
c) Desconfiança dos brasileiros, reforçada após o falecimento de D. João VI, de que o reconhecimento reunificaria os dois reinos.
d) Reação das potências europeias às ligações privilegiadas com a Áustria, terra natal da Imperatriz.
e) Expectativa das potências europeias, que aguardavam o reconhecimento de Portugal, fiéis à política internacional traçada a partir do Congresso de Viena.

20)  (Fuvest) O reconhecimento da independência brasileira por Portugal foi devido principalmente:

a) à mediação da França e dos Estados Unidos e à atribuição do título de Imperador Perpétuo do Brasil a D.João VI.
b) à mediação da Espanha e à renovação dos acordos comerciais de 1810 com a Inglaterra.
c) à mediação de Lord Strangford e ao fechamento das Cortes Portuguesas.
d) à mediação da Inglaterra e à transferência para o Brasil de dívida em libras contraída por Portugal no Reino Unido.
e) à mediação da Santa Aliança e ao pagamento à Inglaterra de indenização pelas invasões napoleônicas.

21) (Mackenzie) O episódio conhecido como "A Noite das Garrafadas", briga entre portugueses e brasileiros, relaciona-se com: 

a) a promulgação da Constituição da Mandioca pela Assembléia Constituinte. 
b) a instituição da Tarifa Alves Branco, que aumentava as taxas de alfândega, acirrando as disputas entre portugueses e brasileiros. 
c) o descontentamento da população do Rio de Janeiro contra as medidas saneadoras de Oswaldo Cruz. 
d) a manifestação dos brasileiros contra os portugueses ligados à sociedade "Colunas do Trono" que apoiavam Dom Pedro I. 
e) a vinda da Corte Portuguesa e o confisco de propriedades residenciais para alojá-la no Brasil. 

22) (Mackenzie) A Confederação do Equador, movimento que eclodiu em Pernambuco em julho de 1824, caracterizou-se por: 

a) ser um movimento contrário às medidas da Corte Portuguesa, que visava favorecer o monopólio do comércio. 
b) uma oposição a medidas centralizadoras e absolutistas do Primeiro Reinado, sendo um movimento republicano. 
c) garantir a integridade do território brasileiro e a centralização administrativa. 
d) ser um movimento contrário à maçonaria, clero e demais associações absolutistas. 
e) levar seu principal líder, Frei Joaquim do Amor Divino Caneca, à liderança da Constituinte de 1824. 

23) (Fuvest) Podemos afirmar que tanto na Revolução Pernambucana de 1817, quanto na Confederação do Equador de 1824, 

a) o descontentamento com as barreiras econômicas vigentes foi decisivo para a eclosão dos movimentos. 
b) os proprietários rurais e os comerciantes monopolistas estavam entre as principais lideranças dos movimentos. 
c) a proposta de uma república era acompanhada de um forte sentimento antilusitano. 
d) a abolição imediata da escravidão constituía-se numa de suas principais bandeiras. 
e) a luta armada ficou restrita ao espaço urbano de Recife, não se espalhando pelo interior
 
Gabarito:

1) B    2) E    3) D    4) E     5) A      6) C    7) A     8) A     9) E    10) B   11) E   12) C   13) A   14) E
15) A     16) A   17) E   18) D   19) E   20) D    21) D   22) B   23) C

Nenhum comentário:

Postar um comentário